Há alguns dias, eu estava a caminho de casa, e uma chuva muito forte começou a cair. No carro, minha esposa e meus filhos – uma responsabilidade enorme, ainda mais se considerarmos a estrada em obras, as luzes ofuscantes dos outros veículos, e o volume torrencial de água que criava uma camada quase intransponível por meu pobre limpador de pára-brisas.

Na luta contra a pornografia, muitas vezes nos encontramos em situação semelhante. Sem saber direito como seguir em frente. Com a visão prejudicada pela culpa, pela vergonha, e pelas lágrimas de arrependimento.

Falta uma definição clara sobre o que é a pornografia. Falta uma compreensão sobre qual a fonte de poder para encarar essa luta. Falta um entendimento sobre as verdadeiras razões para lutar.

Precisamos enxergar com mais clareza, para lutar de uma forma que faça sentido – e que possa gerar resultados. Portanto, para abrir um pouco o panorama, aqui vão algumas questões básicas, que podem nos trazer de volta ao caminho, e nos fazer chegar seguros em casa quando encararmos as curvas tortuosas da pornografia:

O que é pornografia?

Nós temos um grave problema, se não conseguimos definir com clareza o que é pornografia.

Mas, na verdade, essa não é uma tarefa tão simples, principalmente devido à normalização da nudez ou seminudez em praticamente todos os meios de comunicação.

Muitas propagandas e diversos programas de televisão que permeiam o horário “familiar” das tardes de domingo utilizam a exposição do corpo humano de maneira que seria obviamente considerada pornográfica para cidadãos comuns de uma ou duas gerações passadas.

Nesse contexto, corremos o risco de encontrar na subjetividade do termo uma desculpa para acessar aqueles conteúdos que “não são tão pornográficos assim”. Você se identifica com isso?

Para escaparmos desse perigo, precisamos ter clareza. E a realidade é que não é somente a forma de apresentação que define se um conteúdo é ou não pornografia, mas, principalmente, a função para a qual esse conteúdo se presta. De livros “eróticos” a vídeos em smartphones e óculos de realidade virtual; da conversa sensual até a nudez explícita, podemos dizer se algo é ou não pornografia de acordo com a sensação que causa na pessoa que com aquilo tem contato.

Ou seja, por definição, se aquilo lhe causa excitação sexual, é pornografia.

Como posso vencer a pornografia?

A Bíblia nos diz: “entre vocês não deve haver nem sequer menção de imoralidade sexual nem de qualquer espécie de impureza nem de cobiça; pois estas coisas não são próprias para os santos” (Ef 5.3).

Veja bem: como cristãos, não devemos nem sequer mencionar as coisas de natureza pornográfica. Uau! A expectativa sobre nós é mesmo alta… E nesse momento pode bater o desespero: “como vencer essa luta?”.

A verdade é que, se olharmos para nós mesmos, e para nossas próprias forças, veremos que a batalha já está perdida.

Mas, se voltarmos nossos olhos para Jesus, encontraremos nele não só o perdão, mas também a verdadeira fonte de poder para lutarmos.

No texto bíblico, lemos que Jesus não é alguém “que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade” (Hb 4.15-16). É com a ajuda dele, que podemos vencer a pornografia!

Por que lutar?

Mesmo compreendendo o que é pornografia, e mesmo descobrindo como podemos vencê-la, ainda nos falta um ingrediente. Precisamos ser constantemente relembrados do por quê – ou seja, quais nossos verdadeiros motivos para lutar.

E a boa notícia é que não precisamos nos engajar nessa luta com a perspectiva de assim agradar a Deus – isso não só é impossível, como é desnecessário, uma vez que Jesus já carregou esse fardo em nosso lugar.

A razão de lutarmos, passa então a ser o amor ao próximo.

É por amar minha esposa que vou lutar para manter-me fiel, com meu coração, minha mente e meus olhos. É por amar meu filhos que vou lutar para ensinar-lhes com um bom exemplo. É por amar as pessoas ao meu redor que vou lutar para ajudá-las a entender os males e conhecer o caminho de saída das teias da pornografia. É por amar o ser humano que vou lutar para não dar apoio a uma indústria que causa tantos males a quem dela faz parte – nem que seja com um clique a menos. É por amar a mim mesmo, que não vou me sujeitar à perversidade da pornografia.

O que você pode fazer?

Abra seus olhos! A pornografia está ao nosso redor, o tempo todo, mas ela não precisa cegar nossa alma para a graça de Deus. Existe uma fonte incomparável de poder para ajudar você nesse desafio, e há razões de sobra para você lutar. Então, o que você está esperando?

Se você quer compreender em ainda mais detalhes de que maneiras essas verdades podem transformar nossa luta contra a pornografia, conheça meu novo livro! Se preferir a versão impressa, ela estará disponível em breve, se você nos ajudar!

E, se você quer fazer parte de uma comunidade engajada nesse propósito, que luta por amor ao combater a pornografia, e ainda ganhar 2 eBooks gratuitos para ajudá-lo nesse desafio, deixe seu nome e email a seguir, e clique em “enviar”:

Gostou do texto? Então compartilhe, para que mais pessoas conheçam essa realidade!

Relacionados: