Você sabia que a pornografia tem potencial para reprogramar a forma como seus consumidores pensam sobre sexo?

Estudos têm demonstrado o poder de sugestão da pornografia. Acontece que a pornografia é um professor muito efetivo, e pode causar uma mudança mental que faz com que seus consumidores se tornem mais abertos a colocar em prática na realidade o que veem acontecer em conteúdos pornográficos. Quanto mais pensam no que veem como sendo algo real e natural, mais influências a pornografia exerce sobre suas crenças a respeito de como a relação sexual deveria ser [1]. E essa influência não está limitada a indivíduos e casais; ela impacta sociedades, países, e o mundo inteiro.

Difícil de acreditar? Então, para ficar mais claro, vamos examinar algumas das ideias tóxicas que a pornografia ensina a respeito do sexo:

1: O único objetivo do sexo é alcançar um orgasmo

Não é verdade. A relação sexual é justamente o que a expressão diz: uma relação… Uma relação física, mental, espiritual.

O ser humano foi criado para se conectar. Nosso cérebro é programado para nos trazer prazer e satisfação com as conexões que acontecem num relacionamento pautado pelo amor. E a relação sexual, como parte do relacionamento de casamento, é capaz de aumentar essa conexão e aproximar ainda mais o casal. O orgasmo pode ser um reflexo de uma relação saudável e satisfatória, mas não resume o significado da experiência da sexualidade.

Proteja seu casamento: baixe o eBook gratuito “Casamento x Pornografia”.

2: Tudo o que gera atração em uma pessoa é sua aparência física

Não. O ser humano é muito mais do que suas características físicas ou habilidades sexuais.

Quão vazio e triste seria se alguém quisesse estar com você somente porque você tem uma bela aparência. Existem tantas qualidades que podemos encontrar nas pessoas… Elas podem ser amigáveis, honestas, gentis, compreensivas, sociais, criativas, inteligentes, saudáveis, confiantes, engraçadas, emocionalmente estáveis, e muito mais! A pornografia ensina a seus consumidores que o corpo de uma pessoa é mais importante do que seus pensamentos, sentimentos, emoções e crenças. Mas o que o amor verdadeiro ensina é diferente.

3: Comportamentos não têm consequências

Falso. A pornografia não mostra o que acontece depois da gravação das cenas. Grande parte do que as pessoas fazem nas cenas pornográficas não aconteceria na vida real sem gerar sérias repercussões.

Considere o seguinte: por que os gêneros mais populares de conteúdos pornográficos são aqueles que mostram os atos mais repulsivos? É muito provável que a maioria das pessoas concorde que, se você se importa de verdade com uma pessoa, com o que ela sente, ou minimamente com sua saúde, não sujeitaria ninguém a esses atos.

O problema é que a pornografia não mostra as consequências. Não mostra pessoas sendo incriminadas pelo estupro ou por outros tipos de violência física e psicológica a que atrizes e atores pornográficos são sujeitados. Não mostra as doenças sexualmente transmissíveis que são contraídas. Não mostra gravidez indesejadas, parasitas intestinais, cortes e hematomas. E não importa a brutalidade com que uma atriz é tratada, ela sempre aparenta estar achando bom. Na pornografia, não há limites; qualquer tipo de comportamento é saudável e seguro – não importa o quão violento seja. E isso tudo é completamente irreal.

4: Toda experiência sexual é totalmente satisfatória

Sério mesmo? Sexo na vida real não é sempre impecável e perfeito para os envolvidos, e está tudo bem ser assim, desde que haja total consentimento, comunicação e intimidade.

Muitas experiências sexuais são prazerosas, mas também há muitas formas de machucar seu cônjuge física ou emocionalmente. Além disso, cada pessoa tem suas preferências pessoais, que precisam ser comunicadas e respeitadas para o bem do relacionamento. Essa conversa pode até parecer um pouco desconfortável, mas ela é saudável, e só tem a fortalecer a intimidade entre o casal. Sexo, em que os dois estejam sempre plenamente satisfeitos, todas as vezes, não é possível – mas isso faz parte do processo de autoconhecimento e de crescente conhecimento da pessoa a quem mais se ama.

5: As pessoas são descartáveis

A pornografia não se importa com a humanidade das pessoas que estão nas telas; só se importa com sua performance exagerada.

Ninguém gosta de estar com pessoas que não se importam com você, então por que você teria qualquer tipo de intimidade com essas pessoas? Amor de verdade tem a ver com se importar com uma pessoa a ponto de considerá-la insubstituível, da forma como ela é – com sua personalidade, talentos, ideias e outras características peculiares. A pornografia não se importa e nem mostra nada disso. Ela remove a humanidade das pessoas e as apresenta como objetos para serem usados e descartados. Não há comprometimento, entrega, conversa sobre sentimentos, anseios ou desejos. Apenas prazer físico descartável. De que maneira assistir isso poderia ser saudável para nossa compreensão a respeito do sexo?

6: “Não” significa “sim”

Somente no mundo da pornografia a falta de consenso é considerada “sexy”. Pense no seguinte: uma das situações mais comuns apresentada em conteúdos pornográficos é a de alguém se aproveitando de uma adolescente, contra a sua vontade. Triste. E há alguns anos, cientistas realizaram um estudo sobre os vídeos pornográficos mais populares; das 304 cenas examinadas, 88% continham violência física e 49% tinham agressão verbal. E a parte mais perturbadora era que mais de 95% das vítimas pareciam responder com neutralidade ou com prazer nessas cenas [2]. Que ideias isso promove a respeito do que é ou não é aceitável em uma relação sexual? A pornografia vende a ideia de que o abuso pode ser sexy, e que o consentimento é apenas um opcional.

A pornografia vende a ideia de que o seu prazer é mais importante do que a dor que qualquer pessoa possa sofrer. Ensina a minimizar o trauma, porque na pornografia o “não” frequentemente se transforma em “sim”. Como isso poderia ser uma lição saudável para quem assiste pornografia? Por que nossa sociedade se diz contrária ao estupro e à violência sexual, mas não vê problema na pornografia – sendo que ela promove e torna um fetiche o mesmo tipo de comportamento?

O que você pode fazer?

Essas são apenas algumas das ideias degradantes, irreais e completamente prejudiciais que a pornografia nos ensina a respeito do sexo. Se você se importa com o que acontece com seu cérebro, seus relacionamentos, e sua percepção sobre o que é uma sexualidade saudável, a pornografia não pode trazer nenhum benefício para você.

Para que mais pessoas conheçam essa realidade, compartilhe este texto!


*Texto traduzido e adaptado de “‘No’ means ‘yes’: 6 messed-up ideas about sex that porn normalizes”. Disponível em: https://fightthenewdrug.org/5-twisted-ideas-porn-teaches-about-sexuality/

Referências:

  1. BRIDGES, A. J. Pornography’s Effect on Interpersonal Relationships. In J. Stoner and D. Hughes (Eds.) The Social Costs of Pornography: A Collection of Papers (pp. 89-110). Princeton, NJ: Witherspoon Institute, 2010.
  2. BRIDGES, A.; WOSNITZER, R.; SUN, C. e LIBERMAN, R. Aggression and sexual behavior in best-selling pornography videos: A content analysis update. In: Violence Against Women, vol. 16, n. 10, P. 1065-1085, 16, Outubro, 2010.

 

 

Para conhecer as estatísticas mais recentes sobre pornografia no Brasil, e as opiniões de especialistas no assunto, baixe gratuitamente o relatório “Hábitos no Consumo de Pornografia”.

Relacionados: