Enquanto a maioria dos homens vê pornografia buscando prazer sexual, a maior parte das mulheres acessa conteúdo pornográfico por razões bastante peculiares. Isso é o que aponta o relatório da recente pesquisa “Hábitos no consumo de pornografia”, que analisou as respostas de 400 pessoas a diversas questões relacionadas ao consumo de pornografia, relacionamento virtual e nudes, e as motivações e sentimentos envolvidos nesses comportamentos.

De acordo com a pesquisa, o principal motivo de as mulheres acessarem pornografia é por curiosidade; essa é a realidade para 34% delas (veja a figura abaixo). O segundo motivo mais comum, com 26%, é o prazer sexual. Em terceiro lugar, chama a atenção que um número significativo de mulheres (17%) vê pornografia para aprender como se comportar para satisfazer seu parceiro. Assim, somando-se as porcentagens de “curiosidade” e “aprender”, chega-se à conclusão de que mais da metade das mulheres vê pornografia não para satisfazer seus próprios desejos, mas para compreender o que há nesse tipo de conteúdo que é tão atrativo para os homens.

Conforme Tiede, essa situação é muito mais comum do que se imagina: “As mulheres tendem a medir seu valor próprio e felicidade de acordo com os comportamentos e opiniões de seu marido” [1]. A autora apresenta relatos diversos de mulheres que fazem grande sacrifício para se parecer e se comportar como as atrizes que seus maridos veem na pornografia, sujeitando-se até mesmo a práticas sexuais que consideram moralmente erradas. Além disso, como argumenta Hopkins, “Esposas que vivem com a tensão de competir com conteúdo pornográfico são roubadas a oportunidade de desenvolver sua própria criatividade sexual – práticas que combinem com o íntimo do seu ser” [2].

motivo-x-genero-ok

O que você pode fazer?

Pornografia não é uma fonte confiável para aprender como se comportar sexualmente, pois retrata a mulher como se fosse um objeto de consumo, e assim contribui para uma cultura de abuso e falta de amor. Compartilhe este texto para levar conscientização adiante. Para conhecer essa temática com maior profundidade, baixe o eBook gratuito “Hábitos no consumo de pornografia”.

Referências:

  1. TIEDE, V. When your husband is addicted to pornography: healing your wounded heart. P. 45. Greensboro: New Growth Press, 2012.
  2. HOPKINS, G. In: Hábitos no consumo de pornografia. P. 23. Hora Luterana, São Paulo: 2017.

Para conhecer os dados mais recentes sobre hábitos no consumo de pornografia no Brasil, e as opiniões de especialistas no assunto, baixe nosso eBook gratuito.

Relacionados: