“Não quero mais ver pornografia”. Essa é uma decisão honesta, corajosa, e admirável! Afinal de contas, a pornografia traz inúmeros prejuízos para quem a consome, bem como para seus relacionamentos, e também para a sociedade como um todo. Essa decisão é um ótimo começo, mas, para que se torne realidade, ela precisa ser acompanhada de uma mudança de atitude – algo simples, mas que pode fazer toda a diferença.

Como livrar-se de um vício

Você já deve ter visto em algum ambiente fechado uma placa de sinalização com os dizeres: “não fume”.

A placa é muito importante para as pessoas que não fumam, pois garante que os fumantes mantenham sua fumaça bem longe dali, sem maiores incômodos aos demais. No entanto, para a pessoa que fuma, essa placa tem um poder de influência muito passageiro. Ela pode até relembrá-lo de que o vício traz os mais diversos males, mas, assim que se afasta dela, a vida volta à normalidade – e com ela o desejo pelos maços de cigarro.

Vencer um vício pode ser muito mais difícil do que parece. Isso acontece porque não basta uma decisão sobre o que não se fazer – por exemplo: não fumar. Na verdade, é preciso desenvolver uma série de atitudes positivas, que dão lugar ao vício em si, ou que criam circunstâncias favoráveis para que não se precise recorrer a ele. Quando decidimos dizer “não” a alguma coisa, também decidimos dizer “sim” a muitas outras.

Amem uns aos outros

Se olharmos para o relato bíblico, encontramos Jesus apresentando uma postura semelhante.

Primeiramente, Jesus assume sobre si todos os mandamentos divinos. Tudo o que não deveria ser feito e também tudo o que deveríamos fazer, ele cumpre em nosso lugar. Assim, por estarmos unidos a Cristo pela fé, não nos resta qualquer obrigação diante de Deus.

Mas, em segundo lugar, Jesus resume para nós os mandamentos divinos. A lei de Deus é boa, como diz o salmista: “os teus mandamentos me trazem alegria”. Por isso, por estarmos unidos a Cristo pela fé, temos liberdade diante de Deus para cumprirmos essa lei sob uma nova perspectiva: servirmos o nosso próximo.

Perceba que Jesus não nos dá uma lista de proibições, mas nos convida a uma atitude positiva: “eu lhes dou este novo mandamento: amem uns aos outros. Assim como eu os amei, amem também uns aos outros (Jo 13.34)”.

Mais amor, menos pornô

Dizer “não” à pornografia implica dizer “sim” ao amor:

  • Se tenho amor-próprio, não vou querer sujeitar meus pensamentos, emoções e comportamentos às distorções que a pornografia apresenta.
  • Se tenho amor pelos relacionamentos, não vou ser infiel ou desleal, perdendo tempo com as ilusões que a pornografia apresenta.
  • Se tenho amor pelo ser humano, não vou apoiar com meu clique uma indústria que aprisiona e escraviza milhares de pessoas, sob a justificativa de produzir “entretenimento”.

A maior mudança de atitude que se pode ter na luta contra a pornografia é dizer “sim” ao amor. É algo simples, mas que faz toda a diferença. Suaviza a obsessão (“preciso parar de ver pornografia”), e liberta-nos para infinitas possibilidades.

O que você pode fazer?

Como você pode amar a si mesmo hoje? Como você pode amar seu próximo hoje? Como você pode amar a sociedade hoje? As possibilidades são incontáveis, e eu tenho certeza de que uma atitude simples de amor pode ter um grande poder transformador na sua caminhada na luta contra a pornografia.

E, se você quiser uma sugestão, confira neste link como sua atitude de amor pode trazer esperança para crianças que precisam com urgência de nosso cuidado 😉

Compartilhe este texto, para que mais pessoas conheçam essa realidade!

 

Para conhecer os dados mais recentes sobre hábitos no consumo de pornografia no Brasil, e as opiniões de especialistas no assunto, baixe nosso eBook gratuito.

Relacionados: