“O mal que eu não quero” é uma iniciativa surgida em 2016, em Florianópolis-SC, que objetiva ajudar pessoas que sofrem com os males causados pela pornografia. Para isso, realiza:

  • Atuação na Internet e redes sociais, levando conscientização a milhares de pessoas;
  • Palestras: as quais se destinam a igrejas, escolas, instituições e eventos;
  • Aconselhamento presencial: em um período de 14 semanas, utilizando guia de estudos específico;
  • Preparação e aperfeiçoamento contínuo: participação no Set Free Summit, maior evento já realizado sobre a temática da pornografia, nos Estados Unidos, e desenvolvimento de pesquisa acadêmica na área;
  • Publicação de relatório de pesquisa inédita no Brasil, que revelou hábitos de indivíduos com relação ao consumo de conteúdo pornográfico;
  • Apoio a instituições como Destiny Rescue, que atuam no resgate de crianças vítimas da exploração e escravidão sexual.

O projeto é coordenado por Miguel Dolny, teólogo formado pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Miguel também é formado em Arquitetura e Urbanismo, pela Universidade Federal de Santa Catarina, é casado com Luise, e membro da Igreja Evangélica Luterana do Brasil, onde já atuou em diversos trabalhos, especialmente com jovens.

Se você deseja saber mais detalhes sobre o projeto, pode entrar em contato conosco por meio do formulário abaixo: