Nos últimos dias, muito tem sido falado sobre a exposição “Queermuseu”, mostra que esteve em cartaz em Porto Alegre, e que foi fechada após acusações de difusão de pedofilia. Se você é contra a pedofilia, também deveria se recusar a ver pornografia. E aqui vão 3 razões para isso:

1 – 20% de toda a pornografia online envolvem crianças que são vítimas do tráfico de pessoas

Infelizmente, é isso mesmo. 1 em cada 5 vídeos ou imagens pornográficas retrata uma criança sendo sexualmente explorada [1]. Nos Estados Unidos, um órgão governamental específico para a denúncia desse crime analisou 22 milhões de imagens em que se suspeitava haver pornografia infantil. Dos casos em que essa situação foi comprovada, 80% envolviam crianças com menos de 12 anos de idade, e 20% eram imagens de crianças com menos de 3 anos [2].

Estatisticamente, não há como garantir que a pessoa que está na imagem ou vídeo em que você está clicando não seja uma criança ou adolescente. Para reduzir esse risco a zero, a melhor escolha é simplesmente parar de ver pornografia.

2 – Cada clique em conteúdo pornográfico é uma demonstração de apoio a essa indústria

Mesmo que os conteúdos pornográficos que você acesse não envolvam crianças, eles fazem parte da mesma indústria. E essa é uma indústria que lucra bilhões anualmente, justamente porque há uma demanda.

Enquanto houver pessoas clicando, mais conteúdo será produzido. Enquanto a pornografia for produzida, crianças serão exploradas. A equação é simples: se você não apoia a produção de um suposto entretenimento que é associado à pedofilia, seu boicote pode ser escolher não clicar em conteúdo pornográfico.

3 – Ver pornografia pode transformar nossas opiniões

Um estudo realizado em 2016 demonstrou que, quanto maior a frequência com que uma pessoa vê pornografia, mais tolerante ela se torna com relação à pornografia infantil:

Entre as pessoas que veem pornografia com frequência menor do que a cada dois meses, 99% consideram errado produzir conteúdo pornográfico com crianças com menos de 12 anos, e 84% pensam da mesma forma quando são adolescentes. Agora, entre as pessoas que veem pornografia diariamente, os números diminuem muito: 91% são contra envolver menores de 12 anos e apenas 54% consideram errado produzir conteúdos pornográficos com adolescentes [3].

Não pense que você está blindado. A pornografia apresenta um discurso que normaliza comportamentos sexuais violentos e abusivos, que promove a pedofilia, e que comprovadamente pode transformar nossas opiniões. Se você deseja manter-se firme em sua posição contra a pedofilia, a melhor opção é não expor sua mente e coração à influência da pornografia.

O que você pode fazer?

Se você é contra a pedofilia, há muitas razões para deixar de ver pornografia. Não arrisque, não se associe, não seja influenciado. Diga não à pedofilia, ao dizer não à pornografia.
Compartilhe este texto para que mais pessoas conheçam essa realidade!

Baixe gratuitamente: 2 eBooks + 1 PPT para lutar contra a pornografia.

Referências:

  1. 1 – RESCUE FREEDOM. What is trafficking. Disponível em:http://www.rescuefreedom.org/our-work/what-is-trafficking/
  2. THORN TECHNOLOGY TASKFORCE. Child pornography statistics. Disponível em: http://www.wearethorn.org/child-pornography-and-abuse-statistics/
  3. The porn phenomenon. p. 92. California: Barna, 2016.

 

Relacionados: